Município

São Miguel do Guaporé é um dos grandes municípios do interior do Estado de Rondônia, sendo atualmente o mais importante na Região do Vale do Guaporé na produção de leite, café e grãos que expande com a produção de arroz, soja e milho, a cidade atualmente é impulsionada por uma indústria frigorifica de onde fornece mais de um mil empregos diretos e indiretos.

História

A história do Município de São Miguel do Guaporé começou em 16 de junho de 1984, quando se reuniram várias pessoas com o Dr. João Bosco, executor do Projeto de Colonização “Bom Princípio”, para tratarem da criação de um patrimônio às margens da BR-429, que liga Costa Marques à BR-364.

O INCRA doou uma área de 350 hectares, à altura do km 125, para formação do novo patrimônio. O nome de São Miguel surgiu em função da existência do rio São Miguel, que fica próximo ao local, e segundo informações dos habitantes da época, por causa disso, o lugar chegou a ser chamado de São Miguel do Oeste.

A população lutava pela emancipação, quando no dia 6 de outubro de 1987, à noite, houve uma reunião das lideranças do lugarejo, com a participação do delegado do IBGE em Rondônia, Gerino Alves, e do chefe de gabinete do deputado Reditário Cassol, para definição dos limites do futuro município e foi escolhido o nome.

O delegado do IBGE explicou que São Miguel do Oeste não poderia ser usado, porque já existia outro município com esse nome e a lei não permitiria a criação de nova unidade político-administrativa com a mesma denominação. Sugeriu então, que se usasse a expressão do Guaporé, porque o rio São Miguel era um dos mais importantes afluentes do rio Guaporé.

A sugestão foi aceita e o processo de emancipação tramitou na Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia com o nome de São Miguel do Guaporé, que foi emancipado no dia 6 de julho de 1988, através da Lei nº 206, assinada pelo governador Jerônimo Santana, desmembrando a área do município de Costa Marques e revogando a Lei nº 200, de 7 de janeiro de 1978.

Compartilhar: